Plante água: aprenda uma das técnicas mais simples da permacultura

Curva de nível é uma coisa básica que se aprende quando se pensa com a natureza. Nossos ancestrais já sabiam e cultivavam com inteligência e eficiência em sistemas de terrazos e canais de infiltração. Vendo o estado de nossos rios assoreados, parece que os homens não sabem mais o que é isso.

Design de água. Ilustração de Peter Cezar.

Permacultura e design de águas

A permacultura oferece muitos caminhos para se pensar a integração entre os sistemas de captação de água e a produção de vida, energia e alimento em seu entorno.

É o caso dos swales (canais de infiltração), do princípio de favorecer localmente a infiltração de água no solo para que o precioso líquido possa permanecer ao máximo possível conosco, evitando que seja desperdiçado, que vá diretamente para os rios e mares e que carregue consigo sedimentos responsáveis por assorear nossos cursos de água.

Quer aprender a fazer um swale (canal de infiltração)? Veja o video no final desse post.

Planejamento lago 1. Por Marina Utsch
Planejamento lago 1. Por Marina Utsch

Escorrimento superficial e aquicultura

A base para criar os canais de infiltração é observar aonde a chuva cai e chega a formar enxurrada, escorrendo por cima do solo, sem infiltrar. É essa enxurrada que pode ser captada por diversas técnicas, micro-bacias e concavidades que vão ajuda-la a parar um pouco e se infiltrar, ao invés de escorrer e levar consigo terra para os rios.

Após os primeiros swales, é possível então continuar no processo de design pensando em algo muito interessante e que tem ganhado força ultimamente que é a aquaponia e aquicultura.

Brejos e sistemas úmidos produzem mais proteína e biomassa que qualquer outro. Seria muito bom se o Brasil trocasse os pastos extensivos de criar bois por lagos e brejos, com rãs, peixes, taboas, papiros, inhames, carás, agriões. Água e alimento não nos faltaria.

Obedecendo ao princípio da multifuncionalidade na permacultura (princípio de eficiência energética em que um elemento tem no mínimo duas funções), o desenho de sistemas naturais com lagos e barragens, em nível, pode ser útil para:

– a produção de peixes;
– a transformação de áreas secas em úmidas e vivas;
– produção de adubo e biomassa de algas, que podem ser importantes fontes de proteína para criação de animais e fertilização dos solos.

Ferramenta de nível

No vídeo a seguir o permacultor e marceneiro de caçamba, parceiro do Guia de Permacultura, Peter Cezar dá as dicas iniciais de como começar o seu processo de plantio de água COM O USO DE UMA FERRAMENTA ANCESTRAL, PERMACULTURAL.

Convidamos também para uma aula online com o pesquisador da Embrapa Meio Norte, Luiz Carlos Guilherme, sobre aquaponia e autossuficiência alimentar. Acesse nosso canal do youtube e assista!

div_face_sisteminha4

9 Comentários


  1. Achei muito interessante esta técnica. Para nós será muito útil.

    Responder

  2. Olá Marina e equipe da Ecovida São Miguel,
    Parabéns, o trabalho de vocês é fantástico e inspiramor. Não poderei participar do curso presencial mas estou muito contente de estar recebendo o material e vendo os videos.
    Gratidão pelo serviço e muito sucesso a todos!

    Responder

  3. Ambiente de excelentes informações e orientações. Tornou-se rotineira a minha passagem por estes domínios que prazerosamente acalenta minha alma quanto ao futuro da mãe gaya e a continuidade da humanidade por aqui.

    Responder

  4. Ola! Primeiramente venho parabenizar pelo trabalho. Também quero dizer que sou uma estudante de arquitetura e pretendo me especializar nas áreas da permacultura, fico feliz toda vez que recebo e-mail deste projeto pois cada vê que leio e uma coisa a mais que minha mente absorve aprendizado!
    Grata pelos e-mails!
    Um grande abraço e espero mais projetos.
    Até…

    Responder

  5. Boa noite. Caiu do céu o site de vocês; é o que preciso para iniciar minha nova vida. Soa de Arcoverde-PE , cidade esta que é a porta do sertão. Vim para o Recife aos 14 anos e estou aqui até o momento com 49 anos e decido a voltar para o sertão. Só que agora, pretendo morar no sertão do pajeú, num sítio de 10ha, totalmente fechado de vegetação nativa.

    Então, tenho que plantar água e fazer a permacultura. Não aguento mais essa vida de capital, de advocacia e esse mundo maluco. Vou largar tudo e irei sozinho, pois, minha esposa, ainda não pode ir, porém, me apóia completamento.

    sei que no início terei que superar algumas adversidades, no entanto, a minha vontade em participar da vida com a natureza será maior e chegarei a minha paz de espírito.

    Peço desculpas pela a narrativa; é porque, quando vejo notícias de pessoas como vocês, tenho ainda, mais vontade de tá no mato. Parabéns por todo trabalho realizado por vocês. Abraços.

    Responder

  6. Gostaria de receber materiais e técnicas de permacultura. Muito bom! parabéns pelo trabalho.

    Responder

  7. Show de bola. Admiro muito esse trabalho de reconstrução da sociedade, e estou desde sempre à somar nessa ‘revolução silenciosa’. Quero acompanhar mais de perto, visitá-los e colaborar nas vivências, mas ultimamente estou empenhado em algumas ações diretas ecológicas aqui na região onde moro(Triângulo Mineiro)… A permacultura me ajudou e está ajudando a desenvolver técnicas solucionistas e assim dando esperança à quem nem mais sonhava. Gratidão por inspirAMOR(como disse um amigo num comentário acima) e transbordar conhecimento sapiente/ancestral.
    Salve salve guerreir@s
    Tudo de bão pra nóis
    inté…

    Responder

  8. Oi gentes bacanas! Gosto muito do trabalho de vocês, agradeço por tudo.
    Gostaria de ver a web-aula sobre sustentabilidade alimentar no quintal com Luis Carlos Guilherme, se ainda for possível.
    Beijo e Abraço carinhosos!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *